Quer receber conteúdo exclusivo GRÁTIS?

7 erros comuns na montagem de Vitrines

É muito comum hoje em dia, especialmente em lojas menores, o próprio lojista ou a equipe de vendas ser responsável pela vitrine. Contratar um vitrinista para evitar os erros mais comuns na montagem da vitrine pode ser uma boa saída.

No entanto, cada lojista sabe do potencial do seu negócio – ou pelo menos precisa saber, e percebe a hora certa para investir num vitrinista ou em um visual merchandiser.

Quando a vitrine fica sob responsabilidade tanto equipe de atendimento e vendas, quanto o próprio lojista, precisamos considerar que ambos se ocupam de diversas outras atividades, e é comum acontecer de a vitrine acabar em segundo plano, e não receber o cuidado necessário com que deve ser pensada e montada. Diante desse descuido, é que acontecem os erros mais comuns na montagem de vitrine.

Veja os 7 erros comuns na montagem da vitrine

#1. Achar que precisa expor tudo que a loja vende

É o maior erro – e normalmente o que causa a temida Poluição Visual.

Muitas lojas trabalham com produtos variados, dentro de segmentos que não combinam entre si, e ainda assim, querem colocar todos esses produtos juntos na vitrine. É um grande erro! Todo produto exposto deve estar alinhado com uma ideia. Sempre lembre disso. Pense a vitrine como um cenário de filme, onde uma história é contada. É dessa forma que as pessoas se identificam com os produtos – quando elas se identificam antes com a história, e o desejo pelo produto surge. Se sua vitrine possui toda a sua linha de produtos, você pode até me dizer que conta uma história, mas certamente será uma história confusa que nem eu, nem seu cliente estamos disposto a desvendar.

#2. Não selecionar os produtos antes

O segundo erro mais comum na montagem na vitrine é na verdade uma extensão do erro acima.

Se você vai trabalhar uma vitrine conceitual, tudo bem, o produto pode ficar em segundo plano. Porém quando sua vitrine não for conceitual e sim, comercial, visa vender um produto, ou uma linha de produtos, estes devem ser previamente definidos, pois todos os outros elementos da vitrine devem surgir a partir dele. Temas, cores, formas, tudo girando em torno do produto e fazendo-o brilhar.

Em vitrine, é necessário que um produto brilhe mais que os outros. Ele funciona como o chamariz para fazer as pessoas pararem diante da sua loja, e só depois, observarem que outros produtos podem vir a se tornar interessantes.

Se todos estão na mesma posição, mesmo que todos destacados, quando iguais, possuem o mesmo valor.

#3. Não deixar espaços vazios

Encher a vitrine demais é também um grande erro. O nosso cérebro precisa de algo que chamamos “respiro”, ou seja, espaços vazios que servem para dar mais destaque aos espaços preenchidos – com os produtos a venda, se possível. Se todos os espaços estão preenchidos, cria-se um efeito de verificação rápida e o consumidor não foca em nada, deixando a vitrine e indo embora antes do que devia.

Os espaços vazios também ajudam a agregar valor ao produto. Quanto mais vazio, mais o cliente interpreta como exclusividade. Vale lembrar que, vazio não deve significar monotonia e sim, organização.

#4. Não colocar nada em foco

É necessário definir o que vai estar em foco, seja um produto ou conceito, este deve estar bem destacado.

Existem produtos que vendem em qualquer lugar na loja, e outros que não. Necessitam de mais destaque. Isso significa colocar mais ênfase na exposição deste produto. Iluminar mais.

Não há fórmulas matemáticas, no entando qualquer estudo simples de no mínimo três meses é capaz de identificar quais são os melhores produtos de venda, aqueles que são vendidos com praticamente nenhuma promoção, e aqueles que precisam de um pouco de brilho, de destaque.

Faça este acompanhamento de modo real, com cálculos dos produtos que saem mais e dos que não saem. Não confie na sua percepção geral da loja porque isso pode ser uma armadilha. Você acha que determinado produto vende mais e quando tira um relatório detalhado é comum de perceber que não era bem assim.

#5. Vitrine suja, escura ou desorganizada.

Não necessita muitas explicações. Vitrines sujas e escuras passam ideia de tristeza e abandono. A desorganização irrita o olhar de quem vê a vitrine.

A vitrine é o cartão de visitas da loja, quando suja ou desarrumada, passa instantaneamente a ideia de que o interior da loja também estará do mesmo jeito. Além do mais, é total falta de cuidado com o cliente e com o que ele representa.

#6. Não ter um orçamento para vitrine

A vitrine é uma das ferramentas mais eficientes de Marketing – isso porque o seu consumidor já está ali. Na sua porta. Necessita apenas um impulso para que entre!

É comum lojas investirem alto em campanhas em TV e outdoor e não terem nenhum orçamento destinado a vitrine, utilizando sempre os mesmos elementos de decoração e aquelas bolas do Natal passado. Não quero dizer que mídias como rádio e TV não sejam importantes, com certeza são. No entanto, quando comparadas com a vitrine, podemos dizer que a vitrine é uma mídia muito mais facilmente mensurável – seu cliente já está ali! Você consegue facilmente avaliar se a vitrine está dando retorno ou não. É imediatista. Quando comparada as outras mídias, a vitrine pode até mesmo representar, na maioria dos casos, um investimento muito menor.

Quer ler mais dicas sobre como montar sua vitrine e evitar erros?

Passo a passo na produção de vitrine

Vitrine Dia das Mães: 3 dicas essenciais

A Vitrine que vende

Último erro mais comum na montagem de Vitrine

#7. Não fazer um planejamento

Planejamento é uma regra essencial a qualquer negócio. Com a montagem da vitrine não seria diferente.

Tenha em mente que as estações mudam, as coleções mudam, os temas e as tendências principalmente, mudam na velocidade da luz. Parar no tempo – ou ter a mesma vitrine por décadas, significa não estar por dentro das novidades. E hoje, diante do momento que vivemos no varejo, onde tudo gira em torno do novo, não dá pra permitir que seus clientes pensem que você não se atualiza. Lembre-se: tudo que a sua vitrine representar, representará a loja toda. Representará a empresa como um todo.

Planejamento permite rotatividade, e é justamente a rotatividade e o caráter de novidade que ela representa, que torna seus produtos mais especiais e com um diferencial.

Comece fazendo um planejamento mensal, depois trimestral, semestral ou anual. Estabeleça datas e linha de produtos que vai expor antecipadamente. Defina o orçamento que vai investir na vitrine.

Com tudo registrado e pensado, fica mais fácil medir os resultados de um trabalho de vitrine bem planejado.

E você, o que acha?

COMENTE!

#dicasaoslojistas #dicasdevitrine #vitrinismo #erroscomuns #evite

Você poderá gostar também de:

Gostou do post? Dê sua opinião!

  • email-icon-vector-27630.png
  • Facebook Basic Black
  • Google+ Basic Black
  • Instagram Basic Black
Últimos Posts
visual merchandising
Tags
Nenhum tag.
sem 1 de 2019 - cursos visual merchandis
Leitura Interessante
  • Ícone de App de Facebook
  • Ícone do App Instagram
  • Google+ clássico

VM na prática

Florianópolis - SC

CNPJ 24.256.093/0001-88

© 2019. Todos os direitos reservados.